Audi anuncia recall devido a emissões excessivas

Autoridades forçaram a marca alemã a recolher 24 mil unidades do A7 e do A8 devido a emissões de NOx acima do permitido pela norma Euro 5...

Audi terá de fazer um recall na Europa de 24 mil unidades do A7 e do A8 com motor 3.6 V6 TDI e V8 (produzidos entre 2009 e 2013) a partir do início de julho. Cerca 14 mil destes modelos foram vendidos na Alemanha. De acordo com o Bild am Sonntag, esta ação está a ser coordenada pelas autoridades alemães da KBA, que detetou emissões de NOx excessivas (20 a 100% acima) face ao que é permitido pela norma Euro 5, sempre que se roda o volante mais de 15 graus, aparentemente apenas nos modelos equipados com caixa automática.

A Audi terá até dia 12 de junho para apresentar um plano para solucionar este problema, tendo mesmo já apresentado uma solução à KBA que deverá passar por uma reprogramação de software da caixa de velocidades. A intervenção nas oficinas da marca deverá durar cerca de meia hora.

Fonte próxima da marca diz que o problema das emissões é motivado pela relação da transmissão com as unidades de controlo do motor.

Contactada pelo Autohoje, a Audi respondeu:

“Há vários meses, a Audi vem investigando sistematicamente as emissões de um grande número de combinações de transmissão - motor em determinadas condições de condução. As últimas análises dos automóveis A7 e A8 dos anos modelo de 2010 a 2013 com motores V6 e V8 certificados de acordo com o padrão de emissão EU5 revelaram que, em determinadas situações, as emissões de NOx estão entre 20 e 100 por cento acima do limite. 

O motivo é que, em algumas situações, a velocidade do motor é influenciada desfavoravelmente pelo software de transmissão, o que pode ter um impacto negativo nas emissões do motor. A Audi concordou com a Autoridade Federal de Transporte Automóvel da Alemanha que abordará ativamente os clientes e chamará às oficinas os veículos afetados. 14.000 desses 24.000 carros estão registrados na Alemanha. O recall provavelmente começará em julho de 2017. Como somente uma atualização de software será instalada, o tempo necessário para o trabalho nos veículos será de cerca de 30 minutos.

A Audi continuará a cooperar plenamente com as autoridades. A Audi está a fazer tudo para garantir que as anomalias que descobriu serão corrigidas o mais rápido possível.

Neste momento não sabemos quantas unidades poderão estar afetadas, ou mesmo se as há, em Portugal.”

1